Estelionatário que fez vítimas ao negociar hospedagem em Alter do Chão é alvo de investigação policial

As 11 pessoas pagaram mais de R$ 11 mil por reserva. Brendo Dantas aplicava vários tipos de golpes em locação de casas.

Por Kamila Andrade, G1 Santarém — PA


Na web, imagem de uma casa e informações da pousada fictícia ainda podem ser encontradas — Foto: Reprodução/Aluguel Pousadas

A Polícia Civil investiga um estelionatário suspeito de aplicar vários golpes por meio das redes sociais se passando por proprietário de pousadas na vila de Alter do Chão, em Santarém, no oeste do Pará. Brendo Souza Dantas negociou com um grupo de turistas hospedagem. As 11 pessoas pagaram pela reserva de pousada R$ 11.550,00.

O grupo de turistas negociou com o estelionatário desde setembro deste ano, mas só souberam que haviam caído em um golpe, quando uma das integrantes chegou em Alter do Chão e disse que tinha negociado com o Brendo uma hospedagem. Brendo já é bem conhecido por todos da Vila por aplicar golpes.

“A gente começou a fechar as coisas da viagem e queríamos fechar a hospedagem, então a gente entrou na plataforma que a gente mais usa e já tinha pouca opção de hospedagem. Ficamos desesperados, porque imaginamos que Alter fosse pequena e então ficamos de reservar a do Brendo. A gente confiou na plataforma e reservou por lá. Na reserva tinha um contato do suposto proprietário da pousada e nós negociamos pelo whatsApp com ele”, contou a vítima Amiee Rocha.

Ainda de acordo com Amiee, o grupo não desconfiou porque a conversa de Brendo era muito boa, ele indicava passeios, barqueiros e tinha uma boa interação com as vítimas e elas jamais imaginava que seriam enganadas.

Segundo a delegada Adriene Pessoa, este não é o primeiro caso de estelionato registrado contra Brendo Dantas que se identifica como “Breno”. Além de realizar locações de pousadas fictícias, o estelionatário também aplicava golpe alugando casas e furtando objetos das mesmas.

“O Brendo que sequer se chama Breno, no início deste ano nós tivemos um caso envolvendo-o, onde ele locou imóvel e ficou de pagar os aluguéis, mas pagou só o primeiro mês. Até então seria uma questão cível, uma questão contratual. Só que quando o proprietário foi fazer a vistoria do imóvel ele verificou que o Brendo se apropriou de objetos da casa, então ele foi indiciado por apropriação indébita, cuja pena varia de um a quatro anos de detenção”, explicou a delegada.

Ainda segundo Adriene, recentemente uma nova proprietária de imóveis em Alter do Chão procurou a polícia e disse que locou a casa para o Brendo e ele mais uma vez deixou de pagar o aluguel. Também ficou um débito de energia elétrica e quando saiu da casa levou vários objetos domésticos.

“Iniciamos outra investigação, porque saiu da esfera cível e foi pra esfera criminal, pois se trata de um crime porque ele procura na vila casas de alto padrão, loca aquele móvel, faz um contrato e paga somente o primeiro mês de aluguel e a partir do segundo mês e outros meses em sequência, ele usa como argumento que está em baixa temporada e que está passando por dificuldade financeira, mas continua alimentando a vítima para dá impressão de que ela vai rever aquele valor”, contou a delegada.

Brendo está sendo procurado pela polícia. Ele não foi localizado em Alter do Chão e há suspeitas de que tenha fugido para o seu estado de origem, o Amazonas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat